quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

O modelo

Peter Wihl é um pintor famoso mas em decadência. A juntar-se à pressão de uma nova exposição descobre que tem um problema de visão que o deixará cego num curto prazo de tempo. Como lidar com isto? Como corresponder às expectativas, dos outros mas também às suas? Até onde ir na ânsia de uma cura? Qual o preço a pagar pela mesma?
O Modelo é um romance moderno, que nos coloca questões muito actuais, de um dos melhores romancistas nórdicos contemporâneos: Lars Saabye Christensen. Uma boa história contada de uma forma agradável e simples apesar de tratar de questões bastante complexas como a criatividade artística e os limites morais e éticos pelo quais nos guiamos, com um final surpreendente mas perfeito como desenlace para tudo o que o antecede.
Apenas, e lamentavelmente, um reparo para a grande quantidade de gralhas e erros que temos de suportar ao longo de todo o livro e que nos fazem questionar o trabalho de revisão. Nota francamente negativa e entristecedora até porque , sendo uma edição da Cavalo de Ferro, de quem estamos habituados a um bom trabalho, não seria de esperar uma mácula destas.
Regina

1 comentário:

Marta disse...

Boa tarde
A coisa que mais me irrita é encontrar gralhas e erros ao logo de uma leitura. As editoras e quem faz a revisão deveria ter mais "respeitinho" pelo leitor.