sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Os Desaparecidos

Considerado por vários críticos literários nacionais como um dos melhores livros editados em Portugal em 2009, Os Desaparecidos do qual já muito se tinha falado aquando da sua publicação nos Estados Unidos em 2006, é sem qualquer dúvida um livro único.
2009 foi o ano em que se assinalaram os 70 anos do início da 2ª Guerra Mundial e foram feitas, a este propósito, várias edições relacionadas com o tema. No entanto, este não é apenas mais um livro sobre este conflito ou sobre o holocausto: Os Desaparecidos são 6 familiares do autor - um tio-avô, esposa e quatro jovens primas, e o livro trata da busca obsessiva do mesmo em saber como morreram e como viveram estas pessoas, mas é também um relato na primeira pessoa das emoções relacionadas com esta busca e com as descobertas que foram acontecendo ao longo dos vários anos de investigação. É também, e ainda, um retrato de uma época (o período entre guerras) bem como um exercício de análise do ser humano no que tem de melhor mas também de pior.
É, na minha opinião, uma prova de amor do autor ao seu avô materno e ao que ele representou para si.
O paralelismo estabelecido entre alguns momentos da sua história familiar e determinadas passagens do livro do Génesis e a análise dessas mesmas passagens são uma forma diferente e muito interessante de expor algumas ideias.
Estas 550 páginas são, apesar do tema, puro prazer, não pelo assunto tratado mas pela forma como o autor optou por nos contar a sua Odisseia.
É, de facto um dos melhores livros que li ultimamente.
Regina

1 comentário:

lucilia disse...

Olá!
Fiquei cheia de curiosidade de ler
este livro. Será a minha próxima
aquisição.
Até breve,
Lucilia